sexta-feira, 5 de maio de 2017

Foi um suicídio longamente premeditado



Minha cabeça
deve explodir
por esses dias
Há também a
hora do infortúnio
Há também o
interior do espanto
Até lá devo escrever
aquelas memórias
Que ficaram nubladas
no horizonte
Eclipsadas
no último toque
Do meu pai
filósofo famoso
Tímido franco
impiedoso
Que há muito
foi morar pela Europa
Entre esses anos
se passaram coisas
A filosofia problematiza
franze a testa
Mas não transmite
nenhuma verdade
Há pessoas que vivem
simplesmente
dentro de uma revista
ou num álbum
A infância trancada
em medos e angústias
A ligação muito menos
íntima com os
acontecimentos reais
um amontoado de exílios
O mundo é um lugar distante
esta treva selvagem
Na simulação na dissuasão
no território invadido
a linguagem enfrenta Deus




Ney Ferraz Paiva