quinta-feira, 3 de abril de 2014

HÉBRIDAS



as nuvens estão baixas enforcam a tarde
a noite parece não terá a menor chance
o amor dá saltos mortais espalhafatosos
sobe ao cimo das árvores aí faz o ninho
o amor começou como se fosse pássaro
dando um duro danado para ir e voltar
enfrenta problemas financeiros sexuais
bebe mau vinho vai a motel vagabundo 
famílias tentam desenterrá-lo na sala
logo depois ele corta o pulso enlouquece
governos esperam elegê-lo suborná-lo 
mas ele é ruim na tv não sabe fazer pose
todos sempre ansiosos em encontrar um
com pulmão que respire debaixo d'água
e que não se mate num sábado à tarde


 


ney ferraz paiva
francesca woodman

quarta-feira, 2 de abril de 2014

AS FOTOS DELA

vi as fotos dela
não tinha ideia
do que acontece
à pessoa que se
joga dum prédio

a pele desaparece 

reprimida no solo
único longo seco 
golpe de martelo

um verso pra lua

amortece a queda?
folhas murmúrios
de cães na praça?

a face se esquiva

de ir ao inferno?
a face se desvia
à faca ao arpão?

do ouvido o vento

marinho e da boca
versos de paixão

vi as fotos dela

nem o sol brando
amortece a queda




ney ferraz paiva

foto de ana cristina cesar